REFERENCIAL TEÓRICO – EVITE 9 ERROS PERIGOSOS

Compartilhar:

Cuidado! Esses 9 erros perigosos podem fazer você reprovar no TCC de primeira. Após ler esse artigo você vai poder corrigir seu TCC e o deixa-lo blindado na hora de mostrar para seu orientador. Imagina você recebendo elogios na sala por ter feito um referencial teórico impecável, seria ótimo, não é verdade? Leia atentamente e com paciência cada item do artigo.

  1. Nove erros perigosos

1.1. Referencial – Estrutura dos parágrafos

1.1.1 Parágrafo escrito com texto corrido

1.1.2 Terminar parágrafo com marcadores e ilustrações

1.1.3 Terminar parágrafo com citação

1.1.4 Usar muito APUD

1.1.5 Usar citações de livros sem autores

1.1.6 Inserir uma citação direta abaixo de uma indireta sem argumentar

1.1.7 Não argumentar abaixo de uma citação direta

1.1.8 Citações diretas maiores que oito linhas

1.1.9 Capítulos com muitas páginas e outros com poucas

recapitulando

Bibliografia

INSCREVA-SE PARA NO CANAL PARA NÃO PERDER NADA

Não é exagero afirmar que cada classe de publicação possui uma finalidade própria. Cabe ao educando decidir qual se adéqua melhor a suas necessidades e buscar a estrutura da mesma. Veremos agora 9 erros fatais no seu referencial teórico.

1. Nove erros perigosos

Pode-se afirmar que, mesmo grande parte dos alunos não sabem o que é um texto dissertativo argumentativo, na verdade ele é bem fácil de ser compreendido quando se usa um método de escrita. É verdade, só de pensar em escrever os capítulos do TCC vem causa uma grande aura de medo em todos os alunos, pois esse gênero textual é frequentemente exigido em concursos e vestibulares por todo o globo.

Dissertar tem por intuito mostrar ou interpretar os fatos, e argumentar é colocar as palavras de modo que o interlocutor possa ser cativado com aquele tema. Nas provas e competições, esse gênero textual é considerado uma forma de ortografar uma opinião (HARTMANN, 2015).

Conforme dito pelo autor acima, interpretar os fatos pode ser uma tarefa complicada e por isso, abaixo segue a lista de todos os erros mais perigosos que você pode cometer ao escrever o referencial teórico do seu TCC:

  • Parágrafo escrito com texto corrido;
  • Terminar parágrafo com marcadores e ilustrações;
  • Terminar parágrafo com citação;
  • Usar muito APUD;
  • Usar citações de livros sem autores;
  • Inserir uma citação direta abaixo de uma indireta sem argumentar;
  • Não argumentar abaixo de uma citação direta;
  • Citações diretas maiores que oito linhas;
  • Capítulos com muitas páginas e outros com poucas.

Mais abaixo vamos falar um pouco sobre cada um desses erros. Caso queira tirar algumas duvidas sobre citação antes de progredir, você pode ler mais sobre citação no Artigo: 6 TIPOS DE CITAÇÃO MAIS COMUNS EM TCC (DEFINITIVO).

1.1. Referencial Teórico – Estrutura dos parágrafos

Do mesmo jeito que a própria pesquisa em si, os textos também são classificados de acordo com seus gêneros. Cada um é exigido em determinada situação e possuem estruturas específicas que se caracterizam individualmente.

O método TSAC do Guia da Monografia nada mais é que uma estrutura de parágrafos que forma um capitulo de forma que um embasa o outro. Dessa forma essa estrutura torna o texto a prova de plágio e bancas de TCC. Esse método também pode ser encontrado de outras formas em livros de dissertação  que você encontra na biblioteca.

Foi criado como forma de melhorar a escrita e depois ajustar as ideias dos autores. De forma que os leitores possam compreender o desenvolvimento do texto em seus diferentes caminhos para que o aproveitamento seja mais eficaz (GARCIA, 2010).

Fica evidente, diante deste quadro que o parágrafo deve ser bem elaborado em um referencial teórico. Com a intenção de apresentar adequadamente o conteúdo da obra.

1.1.1 Parágrafo escrito com texto corrido

É bem comum em mais de 80% das correções de trabalhos dos orientadores, encontrar esse erro grotesco, isso porque deixa o trabalho cientificamente fraco na sua forma de escrita. Para saber como fazer um parágrafo escrito corretamente sem cometer esse erro, você precisa contar quantos pontos tem no seu parágrafo, pois para contar como um parágrafo precisa de no mínimo dois pontos contando também o ponto final.

A técnica é simples, já que deve conter no mínimo duas frases em um parágrafo, ou seja, deve-se colocar um ponto após cada ideia do parágrafo. O ideal são 4 frases por parágrafo, mas nem sempre é preciso. Faça uma varredura no seu TCC completo e vai encontrar esse erro.

Na ilustração abaixo são mostrados dois parágrafos, onde o primeiro escrito de forma incorreta sem ter no mínimo duas frases e o segundo de forma correta.

É possível notar grifado em vermelho no primeiro parágrafo um espaço vazio, onde deveria ter mais conteúdo escrito. Já no segundo parágrafo nota-se presença de uma nova frase deixando o parágrafo correto.

As frases sem a pontuação adequada perdem a clareza, uma vez que a citação é a respiração da frase. Para haver coesão, os períodos não tem ficar com menos de um ponto final, tão pouco com muitas vírgulas (D’ADDARIO, 2017).

De certa forma é um erro bobo, mas que pode custar sua nota. Revise todo seu trabalho corrigindo esse erro o mais rápido possível.

LEIA TAMBÉM:  ASSUNTO TCC: 4 Razões Por que Você Ainda Não Conseguiu Escolher Um Assunto

1.1.2 Terminar parágrafo com marcadores e ilustrações

Outra parte muito importante é saber quando utilizar marcadores e figuras no corpo do referencial teórico. Eles servem respectivamente para visualizar de forma pontual o que o escritor quer dizer. Devendo ser colocados no momento correto para evitar que o público perca o interesse.

Para a ABNT, todas as ilustrações devem possuir identificações em alguma parte. Além disso, suas referências e quaisquer outros meios que facilitem a síntese da banca devem estar contidas abaixo da mesma (KRUGER, 2015).

Veja o exemplo abaixo de como colocar uma figura no referencial teórico seguindo as normas ABNT:

A foto abaixo mostra uma corrida em andamento no qual os corredores são todos numerados em ordem crescente. São separadas por categoria agilizando o processo de classificação para a obtenção dos resultados finais.

referencial teórico

Figura 1 – Atletas correndo

Fonte: (PIXABAY, 2017)

Com isso, nota-se que a Secretaria de Esportes leva para sociedade várias modalidades de esporte para que todos tenham possibilidade de praticar algum tipo de Esporte independente de classe social. Levando aos participantes a consciência e domínio mais específico sobre as ações que exijam um esforço físico maior fazendo que consigam se desempenhar além de suas expectativas.

Observe o parágrafo acima da ilustração e o abaixo. Esses dois parágrafos são dedicados a explicar o que se pode notar na ilustração, ressaltando pontos importantes e direcionando o olhar de quem está lendo. Dessa forma de jeito nenhum pode aparecer uma ilustração no TCC sem esses parágrafos acima e abaixo explicando. A mesma regra segue para marcadores e numeração.

1.1.3 Terminar parágrafo com citação

Quando se está na faculdade os discentes não tem muita autoridade para afirmar algo em um trabalho científico. Os orientadores aconselham a não apresentar nenhum argumento que não tenha uma base científica já comprovada por meio de citação ou que seja uma descoberta do próprio aluno.

Constituídas por elementos vindos de outros documentos, as citações revelam-se úteis para contestar ou amparar um ponto de vista no referencial teórico. Ao fazer isso, todas devem ser identificadas permitindo o acesso ao texto original para ser comprovada (GREISSLER, 2004).

Tudo que não for de autoria do próprio criador do TCC deve ser referenciado. Mas deve ser colocada em seguida uma explicação sobre a mesma inteiramente com as palavras do pupilo. A isso se dá nome Argumentação dissertativa.

Veja um exemplo abaixo de um capitulo terminando com citação:

referencial

Na ilustração da esquerda temos a forma correta de finalizar o parágrafo, sempre realizando um parágrafo de fechamento da ideia. Na ilustração da direita, podemos perceber que o capítulo foi finalizado com uma citação, sem ao menos uma argumentação abaixo ou conclusão, essa forma considera-se errado.

Espera-se, dessa forma que o educando possa montar um referencial teórico de qualidade através das citações, pois quando algo é citado significa que queremos mostrar algo que precisa ser explicado. Para aprender como confeccioná-las leia o artigo Explicação Prática Sobre Citações E O Uso Correto Da Referência Bibliográfica.

1.1.4 Usar muito APUD

Existe uma situação que tira o sono de muitos estudantes, pois é uma situação que gera muitas duvidas a citação de outra citação. Ela é caracterizada pela expressão latina “apud” que significa “citado por, conforme, segundo”. É utilizada quando não se teve acesso a fonte primária da citação.

Segundo Rampazzo (2005), essa prática deve ser utilizada somente como último recurso e mesmo assim não muitas vezes. Deve-se guardar essa chance para quando uma frase muito boa de autor muito famoso é encontrada, mas não se sabe quando nem onde o mesmo a mencionou.

Veja abaixo um exemplo de como colocar uma citação de citação nas normas ABNT:

Sua ação é motivada através dos seus desejos. A ação emana daquilo que fundamentalmente desejamos… e o que pode ser considerado o melhor conselho que se pode dar às pessoas que tem necessidade de convencer alguém, seja nos negócios, no lar, na escola ou na política, é despertar na outra pessoa um desejo ardente (OVERSTREET apud CARNEGIE, 2007).

É preciso ressaltar que, infelizmente esse tipo de citação não é ideal para TCC em geral, seja artigo, Monografia, Dissertação ou tese, pois a banca compreende que você simplesmente copiou algo ao invés de criar. Vale lembrar que caso seja colocado, um apud jamais poderá ser apresentado no final do texto.

1.1.5 Usar citações de livros sem autores

Uma citação deve ser utilizada para dar uma base científica a um referencial teórico de TCC, através dos estudos já terminados de outros pesquisadores. Existem livros que não apresentam autores e esses devem ser descartados para o bem de sua nota.

Ao desenvolver um trabalho de Conclusão de Curso, o conhecimento sobre a literatura básica do assunto abordado deve ser mostrado à banca. Se esse conhecimento vem de bibliografias sem autores, ele não tem muita relevância (PICCOLI, 2006).

Para que o seu TCC tenha validade científica aos olhos do público, é necessário que seja comprovado por meio de citações de terceiros que terminaram seus trabalhos. Quando o nome dele não aparece ou o livro não é muito famoso, não há como saber se aquilo é mesmo verdade.

LEIA TAMBÉM:  9 TIPOS DE TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO (DEFINITIVO)

Espera-se dessa forma, que os leitores desse artigo aprendam a selecionar melhor suas referencias. Retirando todos os que estiverem sem os dados necessários para colocar nas referências bibliográficas.

1.1.6 Inserir uma citação direta abaixo de uma indireta sem argumentar

Durante o planejamento do referencial ABNT é possível optar tanto por citações diretas, quanto indiretas ou até citações de citação. Nada obstante, a citação indireta deve ser seguida de uma clarificação.

No momento em que se depara com uma citação direta, a banca pode se confundir com as interpretações cabíveis a ela ou não entender o que a mesma quer dizer. Para evitar que isso ocorra, uma breve síntese com as próprias palavras do aluno resolverá o problema (KAHLMEYER-MERTENS, 2007).

referencial certo

Veja a estrutura INCORRETA:

  • Citação indireta
  • Citação direta

Veja a estrutura CORRETA:

  • Citação indireta
  • Argumentação sobre a citação acima
  • Citação direta
  • Argumentação sobre a citação acima

Dessa forma, é fundamental que todas as citações diretas sejam elucidadas de modo que fique bem evidente o posicionamento do discente em relação ao tema TCC. Com o intuito de mostrar o quanto a temática foi compreendida e evitar que o pensamento não encaminha para o rumo correto.

1.1.7 Não argumentar abaixo de uma citação direta

No referencial teórico, a utilização de várias citações de autores diferentes é bem indicada para a comprovação de declarações. Mas um cuidado que deve ser tomado é não colocar várias delas sem uma devida argumentação com suas próprias palavras.

Os predicados outorgados aos autores e suas obras dão mais autoridade para a manifestação do problema TCC em questão. Todavia não deve ser colocada outra argumentação adicional, pois não se pode mudar o que está escrito no livro sem consultar sua editora (CORRÊA, 2008).

Veja um exemplo do que colocar neste bloco:

É importante ressaltar que o esporte não inspirava somente aqueles que o praticavam, mas também os artistas da época quando criavam as arenas e estádios:

Nos grandes museus de arte da Itália são abundantes as obras de elevado valor cultural, mostrando que, apesar da inferioridade da educação física romana em relação à grega, os artistas romanos sempre estiveram motivados pelos assuntos desportivos, sobretudo no campo da escultura e da arquitetura. A maior parte das obras não passa da escola helênica em época romana, mas sente-se nelas o espírito romano (RAMOS, 1983, p. 157).

Não é novidade que o esporte vem servindo de inspiração desde os tempos mais remotos. Principalmente nas áreas da escultura e da arquitetura, onde os profissionais deixavam sua imaginação fluir livremente nos estádios e arenas de luta. Tal fato já foi comprovado no antigo império romano.

É possível perceber um parágrafo abaixo da citação direta argumentando sobre o conteúdo dela. Faça isso e saia na frente, seu Orientador vai ficar muito orgulhoso de ver um trabalho assim.

Veja na ilustração abaixo como você deve escrever:

referencial

Portanto, resta apenas montar um esqueleto para a exposição de seu referencial teórico. Ao colocá-la é preciso saber que só é possível explicar com suas palavras o que foi dito, nunca complementar.

1.1.8 Citações diretas maiores que oito linhas

Em alguns casos muito específicos, há necessidade de colocar uma citação direta muito grande. Estes devem ser conversados com o orientador, pois a banca entenderá que o discípulo não tem capacidade para interpretar o que pesquisa e simplesmente copia e cola no trabalho TCC.

Por questões de honestidade, sempre que uma citação for utilizada no referencial bibliográfico, deve ser seguida de suas referencias. Se forem muito longas, devem ser destacadas com aspas ou como a instituição achar melhor. Caso sejam maiores que oito linhas, podem ser colocadas como anexos ou em partes no corpo da obra (LEDUR, 2015).

Mais comum nos casos em que é preciso colocar leis, deve-se tomar cuidado com citações diretas muito longas. O diálogo com o orientador é primordial nesses casos, visto que ele decidirá a melhor forma de apresentá-la.

Portanto, é indispensável ter cautela na hora de escolher o que colocar no Trabalho de Conclusão de curso. Informações muito grandes como leis, decretos e portarias devem ser transformadas em anexos no final ou distribuído em parte no texto com argumentações entre elas.

1.1.9 Capítulos com muitas páginas e outros com poucas

Existem alguns alunos que escrevem muito em alguns capítulos e pouco em outros, fazendo com que eles fiquem com tamanhos variados. Gerando problemas para o entendimento de alguns e a redundância em outros.

Sendo contundente o fato de que alguns capítulos devem ser mais bem explicados do que outros pelo grau de complexidade de seu conteúdo, alguns ficam com o tamanho maior. Por outro lado, não é motivo para que fiquem esteticamente muito diferentes (WAZLAWICK, 2014).

Algumas pessoas possuem o hábito de escrever muito em algumas partes do TCC, deixando outras pouco explicadas. Isso pode gerar consequências ruins na correção do mesmo. Dado que uns ficarão muito grandes e outros pequenos demais.

Conclui-se que uma atenção especial precisa ser tomada com a quantidade de informação contida nos capítulos. Eles devem contem quantidades aproximadas de informação, para que um não fique mais detalhado que o outro.

Recapitulando – Referencial Teórico

Resumindo tudo, existem nove erros que todos os alunos devem evitar quando estão fazendo o referencial teórico ABNT. Todos eles podem reduzir a nota do seu TCC e alguns mostram desleixo e preguiça aos olhos da banca.

Um capítulo é constituído por vários parágrafos e a utilização de sinais de pontuação. Apesar disso, muitos os colocam como uma frase única com muitas linhas, e isso é um erro básico de gramática.

Concluir um capítulo com marcadores e imagens também não é aconselhado. Posto que sirvam para uma melhor visualização dos pontos a serem abordados, antes de terminar escreva um breve comentário sobre os mesmos.

Nenhum graduando de ensino superior tem autoridade para afirmar nada sem estar referenciado por um autor. Por isso, deve-se procurar por citações de terceiros para confirmar o que é dito.

Utilizado sempre como último recurso, a citação de citação, também conhecida como “apud”, é usada quando um autor cita as palavras de outro. Mas não é aconselhado, pois segundo nossas pesquisas pode omitir ou modificar informações.

Livros que não possuem autores, paginação ou documentos digitais que não apresentam autor conhecido ou editora reconhecida também devem ser descartados para evitar redução da nota por pouca autoridade das fontes usadas. A falta de informações sobre a fonte dos dados gera dúvida sobre a veracidade deste.

USO DE CITAÇÕES

O parágrafo abaixo de uma citação indireta deve ser guardado para que o mesmo possa ser desvendado com as ideias do autor do trabalho TCC. Colocar uma citação direta sem argumentar é mostrar que você não entendeu nada sobre o assunto.

Do mesmo modo, depois de uma citação direta, a mesma precisa ser argumentada. Porém, não deve ser acrescentada nenhuma informação adicional, pelo fato de não ser possível alterar a pesquisa já concluída.

As partes muito grandes como citações diretas com mais de oito linhas precisam ser colocadas ao final da obra em forma de anexo ou distribuídas no texto em pequenos trechos argumentados. O mesmo vale para outros arquivos que não são de autoria do discente e são maiores que a metade de uma folha.

Em últimas palavras, é recomendado a todos os capítulos ficar com quantidades aproximadas de tamanho. Sem que um fique mais sintetizado que o outro ou mais referenciado.

Então, o que achou desse artigo? Fique atento no seu Referencial Teórico!

Bibliografia

CORRÊA, L. Direito e argumentação. Barueri: Manole, 2008.

D’ADDARIO, M. Coaching literario: regras para escrever, publicar e divulgar. Rio de Janeiro: Babelcube, 2017.

GARCIA, O. M. Comunicação em prosa moderna: aprenda a escrever, aprendendo a pensar. 27. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

GREISSLER, L. A. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004.

HARTMANN, A. M. Descomplicando a redação: concursos, vestibulares, Enem – em perguntas e respostas. Porto Alegre: AGE, 2015.

HEUSER, C. A. Série livros didáticos de infomormática ufrgs volume 4: projeto de banco de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

KAHLMEYER-MERTENS, R. S. Como elaborar projetos de pesquisa: linguagem e método. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

KRUGER, G. Metodologia de apresentação do trabalho acadêmico: projeto gráfico do TCC baseado na normalização ABNT. Porto Alegre: Ace, 2015.

LEDUR, P. F. Portguês prático. 15. ed. Porto Alegre: AGE, 2015.

PICCOLI, J. C. J. Normalização para trabalhos de conclusão en Educação Física. 2. ed. Canoas: ULBRA, 2006.

RAMOS, J. J. Os exercícios físicos na história e na arte: do homem primitivo aos nossos dias. São Paulo: IBRASA, 1983. 157 p.

RAMPAZZO, L. Metodologia científica: para alunos dos cursos de graduação e pós-graduação. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2005.

SANTOS, R. Introdução à programação orientada a objetos usando Java. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

WAZLAWICK, R. Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

 

Compartilhar: