Explicação Prática Sobre Citações E O Uso Correto Da Referência Bibliográfica

Compartilhar:

Ao fazer uma análise minuciosa de um TCC, um dos primeiros pontos que a banca ou avaliador observa é se todos os assuntos abordados têm fundamento científico. Para conseguir provar tudo o que está sendo dito é necessário ter uma Referência Bibliográfica em cada tópico do referencial teórico.

Nesse artigo você vai aprender como fazer citação, pois trouxemos de forma simples o conteúdo da norma NBR 10520 que trata citação direta e indireta. Após essa leitura saberá também como fazer citação de site, citação direta longa e situações embaraçosas como citação de citação apud, et al e muito mais.

A importância da Referência Bibliográfica; A fim de melhor compreender esse assunto, é necessário ter em mente alguns pontos importantes:

  • Confiabilidade das informações;
  • Uso das citações;
  • Escrever de forma embasada;

Falaremos desses pontos mais abaixo, continue lendo…

Ah…caso queira usar o material que eu usei no meu TCC, basta procurar no Google por Monografis Orientador de TCC.

1. A IMPORTÂNCIA DA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

Quando se fala em provar algo, logo vem à mente à imagem de um cientista fazendo vários cálculos matemáticos. Este por sua vez analisa vários números e gráficos com o intuito de provar uma teoria ou fenômeno.

Segundo Neto (2012), se um indivíduo não consegue provar o que está dizendo, significa que essa afirmação não possui valor. Uma vez que uma afirmação não é confiável, de nada valerá em uma monografia.

Sob essa ótica, ganha particular relevância o fato de apresentar uma Referência Bibliográfica em qualquer afirmação dentro do TCC. Fazendo isso, o texto terá uma base científica uma vez que livros têm suas ideias baseadas em fatos comprovados como estudos, exames e testes em escala real.

A Referência Bibliográfica é um elemento obrigatório em textos. Dias (2014) apud Isaac Newton afirmam que a melhor estratégia é “subir nos ombros dos gigantes para ver mais longe”.

De acordo com o primeiro autor, as ideias sem fundamento não podem ser consideradas ideias reais. Indo ao encontro, o segundo autor menciona um pensamento de um dos maiores pesquisadores da história, que por sua vez, diz para utilizar pesquisas já terminadas de estudiosos.

Fica evidente que diante deste quadro, se o estudante não puder provar o que está escrito no TCC, ele perderá pontos e seu trabalho não terá credibilidade. Ao utilizar uma Referência Bibliográfica, a afirmação terá uma sustentação.

monografis-banner

Em conclusão, por se tratar de algo de extrema importância, um TCC não pode ser escrito de qualquer forma. Precisa ser empregado à forma de escrita dissertativa onde o aluno exterioriza suas teorias ou protege alguma pré-definida. Para aprender uma ótima estrutura dissertativa, leia o artigo PROFESSOR CRIA SOFTWARE QUE ORIENTA TCC A PROVA DE FALHAS.

2. CONFIABILIDADE DAS INFORMAÇÕES

A partir do momento em que alguém consegue provar alguma afirmação que fez, paira no ambiente uma aura de confiabilidade. Para fazer isso acontecer, o aluno deve utilizar fontes confiáveis de informações.

A figura abaixo mostra um exemplo comum de confiança entre duas pessoas:

A partir desta imagem, é possível notar com clareza como estes acrobatas confiam um no outro, a garota se atira e acredita cegamente que o rapaz não irá deixa-la cair. O mesmo deve acontecer no TCC, uma vez que o formando só pode inserir sua ideia se antes confirmar a fonte e ter certeza que é confiável, nesse sentido, mostra a tamanha importância da Referência Bibliográfica.

A televisão, a internet e até mesmo os jornais, às vezes trazem informações um tanto quanto equivocadas e de caráter duvidoso. Portanto é necessário, acima de tudo, averiguar os fatos e buscar mais de uma fonte de informações sobre o mesmo assunto (COVEY, 2008).

Em resumo, não pode haver informações duvidosas no TCC. Algumas fontes podem não ser tão confiáveis como aparentam, por isso, é importante ir a fundo e procurar em outras com a intenção de confirmar isso.

3. USO DAS CITAÇÕES

Não…eu não curso direito! KKKK Mas eu sou fã da série Suits, isso porque, mostra de diversas maneiras como usar a lei a seu favor. Nesse sentido, para poder usufruir do direito de afirmar algo, o aluno que está na caminhada do TCC deve fazer uma citação. Elas podem ser de diversas fontes e um mesmo assunto pode conter várias delas.

São elementos retirados de arquivos encontrados em pesquisas, livros e  diversas fontes. Úteis para sustentar ou contestar ideias trabalhadas pelo aluno, dando acesso ao pensamento do autor original (GRESSLER, 2004).

Pode-se dizer que: as citações servem para dar sustentação à ideia que o estudante quer apresentar em seu TCC. Em outras palavras, elas são partes de obras publicadas em vários meios de comunicação.

Dentre elas, existem três tipos:

  1. […] i) citação direta – transcrição de trecho de texto de um autor consultado, podendo ser fragmento curto ou longo,
  2. ii) indireta – transcrição livre do texto do autor consultado e
  3. iii) citação de citação – transcrição direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original (SANTOS, MOLINA e DIAS, 2007, p. 54).

depoimento-monografis

A partir de agora, você terá uma explicação sobre citações mais comuns de uma forma simples e descomplicada, tudo isso para te ajudar a entender de uma vez por todas as diferenças entre elas.

CITAÇÃO DIRETA

Devemos levar em conta a norma NBR 10520 para entender o que é citação direta. Só de falar em normas, provavelmente você fica com medo, isso porque, entende-se por algo chato e de difícil leitura. O que agrada a muitos nesta norma é sua facilidade de leitura e entendimento; às vezes fica difícil entender o motivo pelo qual os alunos não fazem a leitura antes de começar o TCC.

Então vamos lá…pela norma a citação direta é: Transcrição textual de parte da obra do autor consultado. NBR 10520 (2002, p.2). Isso significa copiar igualzinho do livro ou obra.

Existem os seguintes tipos de citação direta:

  • Citações diretas curtas – As citações curtas, com até 3 linhas, deverão ser apresentadas no corpo do parágrafo entre aspas e ao final da transcrição, faz-se a referência da citação. Em alguns casos é possível registrar a referência da citação antes da transcrição da mesma.
  • Citações diretas longas – As citações longas, com mais de 3 linhas, deverão ser apresentadas separadas do parágrafo por um espaço. O trecho transcrito é feito em espaço simples de entrelinhas, fonte tipo Arial, tamanho 10, com recuo de 4 cm da margem esquerda. Ao final da transcrição faz-se a referência da citação, ou ainda no corpo do parágrafo, sendo desnecessário neste caso o uso da aspa, pois a própria estrutura indica que é uma citação.

Veja o exemplo abaixo de uma citação direta curta:

Influenciar uma pessoa pode parecer tarefa difícil, mas se olhar atentamente, só existe uma barreira para que você convença uma pessoa. Esta barreira chama-se “Falar sobre o que a pessoa quer ou gosta”; Quando você fala sobre o que a pessoa gosta, quebra uma enorme barreira entre o sucesso e o fracasso.

Da próxima vez que você quiser influenciar alguém, comece falando sobre algo que ela goste, isso porque, “[…] o único meio existente na terra para influenciar uma pessoa é falar sobre o que ela quer e mostrar-lhe como realizar o seu intento.” (CARNEGIE, 2007, p. 78)

A ilustração acima mostra a pagina que a citação foi retirada. Veja que está idêntico: ortografia, pontuação e etc. É inegável como o trecho em destaque vermelho no texto acima da ilustração embasou todo o restante do conteúdo. Foi confirmado tudo que havia sido dissertado com uma simples citação direta. Dessa forma, esse parágrafo é incontestável pela banca de TCC e também a prova de plagio, já que os créditos foram dados ao Carnegie.

Observe atentamente que existem variações para a forma como você cita. Na citação acima, o trecho retirado do livro, foi transcrito no final do parágrafo, mas existem algumas variações, veja abaixo.

Variação 1 – Segundo o autor X:

A primeira variação consiste  em iniciar seu parágrafo já transcrevendo o trecho que foi retirada do livro. Muitas pessoas gostam de usar essa citação, pois antes de começar a falar algo da sua cabeça, já inicia o parágrafo sustentando. Normalmente começa com “Segundo o autor X”, conforme abaixo:

Segundo Dale Carnegie (2007, p. 78) “[…] o único meio existente na terra para influenciar uma pessoa é falar sobre o que ela quer e mostrar-lhe como realizar o seu intento.”. Nesse sentido, influenciar uma pessoa pode parecer tarefa difícil, mas se olhar atentamente, só existe uma barreira para que você convença uma pessoa.

Esta barreira chama-se “Falar sobre o que a pessoa quer ou gosta”; Quando você fala sobre o que a pessoa gosta, quebra uma enorme barreira entre o sucesso e o fracasso. Da próxima vez que você quiser influenciar alguém, comece falando sobre algo que ela goste.

Variação 2 – Conceitos:

Outra variação de citação direta curta é já começar apontando sua fonte. Essa citação é muito usada para o livro principal do seu estudo e também para conceituar melhor os assuntos do capítulo.

Carnegie (2007, p. 78) se refere à arte de influenciar as pessoas da seguinte forma: “[…] o único meio existente na terra para influenciar uma pessoa é falar sobre o que ela quer e mostrar-lhe como realizar o seu intento.” (CARNEGIE, 2007, p. 78). Nesse sentido, influenciar uma pessoa pode parecer tarefa difícil, mas se olhar atentamente, só existe uma barreira para que você convença uma pessoa. Esta barreira chama-se “Falar sobre o que a pessoa quer ou gosta”; Quando você fala sobre o que a pessoa gosta, quebra uma enorme barreira entre o sucesso e o fracasso. Da próxima vez que você quiser influenciar alguém, comece falando sobre algo que ela goste.

Observe na ilustração da pagina do livro que existem 3 formas bem simples de citar uma obra com pequenos trechos que vão deixar seu texto embasado.

AVISOS:

  • Quando o sobrenome do autor estiver dentro do parênteses deverá ser grafado todo maiúsculo, quando estiver fora só a inicial maiúscula;
  • As citações diretas, no texto, de até três linhas, devem estar contidas entre aspas duplas. As aspas simples são
    utilizadas para indicar citação no interior da citação.

Veja agora o exemplo abaixo de uma citação direta longa:

Para começarmos veja a ilustração abaixo:

Agora, nossa intenção é transcrever mais que 3 linhas idênticas do conteúdo do livro. Isso se enquadra em citação direta longa.

Influenciar uma pessoa pode parecer tarefa difícil, mas se olhar atentamente, só existe uma barreira para que você convença uma pessoa. Esta barreira chama-se “Falar sobre o que a pessoa quer ou gosta”; Quando você fala sobre o que a pessoa gosta, quebra uma enorme barreira entre o sucesso e o fracasso. Da próxima vez que você quiser influenciar alguém, comece falando sobre algo que ela goste, diante disso é importante ressaltar que:

“[…] o único meio existente na terra para influenciar uma pessoa é falar sobre o que ela quer e mostrar-lhe como realizar o seu intento. Lembre-se disso amanhã, quando estiver procurando conseguir que alguém faça uma determinada coisa. Se, por exemplo, não quiser que o seu filho fume, não lhe pregue sermões, e não fale sobre seu desejo, mostre-lhe, porém, que os cigarros diminuem as suas possibilidades no futebol ou de vitória na corrida de cem metros.” (CARNEGIE, 2007, p. 78)

Veja na ilustração abaixo como ficará no seu Word:

O trecho transcrito é feito em espaço simples de entrelinhas, fonte tipo Arial, tamanho 10, com recuo de 4 cm da margem esquerda. Ao final da transcrição faz-se a referência da citação, ou ainda no corpo do parágrafo, sendo desnecessário neste caso o uso da aspa, pois a própria estrutura indica que é uma citação.

Dois pontos que você pode estar se perguntando:

  1. Tem que ser vermelho? – Não, pelo amor de Deus, está em vermelho para você poder identificar a citação no meio do texto.
  2. Tenho que usar esses colchetes? – use os colchetes quando quiser dispensar algo que veio antes ou depois da citação. Como por exemplo, na citação acima, o “Assim” foi cortado, pois achei irrelevante. Compare a citação com a ilustração da pagina do livro, que você perceberá que a primeira palavra foi cortada.

Agora vamos para as citações indiretas, continue lendo.

CITAÇÃO INDIRETA

Vamos para citação indireta agora, isso porque, a norma diz para se basear no texto do autor, isso quer dizer que terá que: ler, interpretar e escrever o que você entendeu. Você pode escrever também e alterar algumas coisas do texto original e etc.

Tome cuidado, não adianta trocar as palavras do autor por sinônimos, essa prática enquadra em plagio.

Vamos a um exemplo de citação indireta:

De acordo com Dale Carnegie (2007) o único meio existente na terra para influenciar uma pessoa é falar sobre o que ela quer e mostrar-lhe como realizar esse objetivo.

Vamos destacar dois pontos importantes:

  1. Não há necessidade de citar a pagina.
  2. Diferenciar muito? Veja que foi alterado apenas as ultimas palavras. O que importa é manter a ideia central do autor.

Variação 2 – Referencia no final da citação:

Influenciar uma pessoa pode parecer tarefa difícil, mas se olhar atentamente, só existe uma barreira para que você convença uma pessoa. Esta barreira chama-se “Falar sobre o que a pessoa quer ou gosta”; Quando você fala sobre o que a pessoa gosta, quebra uma enorme barreira entre o sucesso e o fracasso. (CARNEGIE, 2007).

Nesse instante você deve estar pensando…Mas eu vou dar todo o crédito para o Carnegie? Pensará assim, pois foi você quem escreveu todo o texto da sua mente, depois porque, só tem uma pequena parte que foi sustentada pelo autor.Não é bem uma injustiça, veja que nessa citação, mesmo que este inicio do texto você tenha tirado de sua cabeça, entenda que você deve o crédito a esse autor, pois se “baseou” no texto dele para chegar a esse raciocínio.

Variação 3 – Expressões latinas:

Essa citação agora tira o sono de muitos, é entendida como a mais complicada de se realizar, vamos entender o motivo.

Veja a ilustração abaixo:

Caso você tenha a necessidade de citar algo que foi citado, então você deve usar a expressão latina apud que significa: “citado por, conforme, segundo” é utilizada quando se faz Referência Bibliográfica a uma fonte secundária; Muito conhecida como citação de citação.

Vejamos o exemplo focando no exemplo da ilustração acima:

Sua ação é motivada através dos seus desejos. A ação emana daquilo que fundamentalmente desejamos… e o que pode ser considerado o melhor conselho que se pode dar às pessoas que tem necessidade de convencer alguém, seja nos negócios, no lar, na escola ou na política, é despertar na outra pessoa um desejo ardente. (OVERSTREET apud CARNEGIE, 2007).

Fatos a serem considerados:

  1. O número da pagina seria necessário na citação ? Caso você fizesse a citação direta: (OVERSTREET apud CARNEGIE, 2007, p. 79).
  2. O autor que está sendo citado vem antes na citação.
  3. Não use muitos apud, evite ao máximo, pois não é bem interpretado pela banca. Use como ultimo recurso.
  4. A norma 10520 não é bem clara sobre a questão de referenciar as duas obras, nesse caso, você referencia apenas a obra consultada.
  5. Quando o sobrenome do autor estiver dentro do parênteses deverá ser grafado todo maiúsculo, quando estiver fora só a inicial maiúscula;
  6. Quando nas citações diretas há supressão de algumas palavras durante a transcrição tal ação deve ser indicada com o uso das reticências entre colchetes […].

Ufa! Tanto detalhe, não é!!?

Para mais detalhes dessa citação, consulta a norma NBR 10520 na pagina 6.

Então, conclui-se que para provar que aquilo escrito no TCC é verdade, o aluno deve fazer citações. Estas são partes dos textos de terceiros ou adaptações dos mesmos colocados com a intenção de provar o que está sendo dito.

SITUAÇÕES EMBARAÇOSAS

depoimento-monografis

Pode-se dizer que em muitos casos os alunos caem em situações embaraçosas na hora de referenciar uma obra. Neste contexto, fica claro que existem inúmeras situações que podem fazer desse processo um pesadelo. O mais preocupante, contudo, é constatar que quando se referencia errado, pode ser considerado plagio pela banca.

Não é exagero afirmar que o estudante pode até mesmo vir a reprovar em todo esse processo devido a erros em referências, ocorreu que a abordagem de alguns casos mais comuns pode ajudar o estudante nessa etapa. Assim, preocupa o fato de que o aluno continua entrando nessas situações ao invés de simplesmente referenciar livros bem conceituados.

CITAÇÃO DIRETA DE TEXTO SEM PAGINAÇÃO

Talvez seja importante lembrar que se o estudante vai mesmo realizar uma citação direta de fonte com paginação inexistente é necessário saber que isso pode descredibilizar seu trabalho. Caso queira citar o conteúdo que não tenha pagina, faça uma citação indireta e pronto!

Primeiramente entenda que pela norma da ABNT é exigido a pagina para citações diretas.

O estudante pode recorrer ao Manual de Normalização da instituição. Verificamos alguns manuais e encontramos poucas orientações sobre isso, como, por exemplo, no manual da ECI-UFMG encontramos algumas opções para essa situação:

Nas dicas diretas do Manual indica colocar a palavra “on-line” no lugar da pagina, isso quando o texto for retirado de documento on-line sem paginação.

Exemplo: Sendo assim, Neto (2006, on-line) sugere que “…”

No texto corrente:

Neto (2006, on-line) afirma…

Fica ao critério do aluno correr esse risco.

É NECESSÁRIO TRADUZIR A CITAÇÃO DE TEXTO ESCRITO EM OUTRO IDIOMA?

A norma que disciplina a apresentação de citações em documentos (NBR 10520/2002), não exige a tradução. Ela orienta que “Quando a citação incluir texto traduzido pelo autor, deve-se incluir, após a chamada da citação, a expressão tradução nossa, entre parênteses”.

Exemplo:
“Texto traduzido” (WITTMAN, 2007, p. 12, tradução nossa).

Embora não seja obrigatório, recomendo que a citação traduzida seja acompanhada de nota de rodapé com a citação do texto original.
Fonte: Prof. Alejandro Knaesel Arrabal

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação – apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2002.

COMO REALIZAR CITAÇÃO DE LEI ?

Essa é uma duvida comum dos alunos.

Basicamente ficaria assim:

Referência Bibliográfica:

[ÁREA GEOGRÁFICA]. [Decreto] n. [Número], Data e Ano. [Título do decreto].[Título]. [Local], p. [Pag. Inicial]-[Pag. Final], [Mês]. [Ano].Disponível em: <http://[Link]>. Acesso em: [Data acesso].

Citações

Veja um exemplo de como fazer citação de lei na ilustração abaixo:

Essa ferramenta pode te ajudar a realizar esse tipo de citação:

http://referencia.clevert.com.br/

Faz combinações diferente e orienta como citar e referenciar da forma correta.

COMO CITAR VIDEOS DO YOUTUBE OU DA TV ?

Em alguns casos o estudante quer citar conteúdo de vídeo, seja através do Youtube, TV, DVD ou os antigos videocassetes. Para isso, a NBR 6023 aborda no item 7.10 na pagina 9 sobre “Imagem em Movimento” que incluem filmes, videocassetes, DVD, entre outros.

Os elementos essenciais são: título, diretor, produtor, local, produtora, data e especificação do suporte em unidades
físicas.

Exemplo:

OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. São Paulo: CERAVI, 1983. 1 videocassete.

Troque o videocassete por Youtube ou a fonte mídia desejada.

FILMES, DOCUMENTÁRIOS, ETC. – EM VÍDEO

APELIDO, primeiros nomes – Título [Designação genérica de material]: complemento de
título. Local de publicação : Editor, Ano de publicação. Designação específica do material
(Extensão).
Exemplo: ROSTEN, Irwin – O Tamisa [Registo vídeo]. Lisboa : Filmes Lusomundo, 1993. 1
cassete vídeo (VHS) (60min.).

FILMES, DOCUMENTÁRIOS, ETC. – EM DVD

APELIDO, nomes – Título [Designação genérica de material]: complemento de título. Local
de publicação : Editor, Ano de publicação. Designação específica do material (Extensão).
Exemplo: VISCONTI, Luchino – Il gattopardo [Registo vídeo]. Milano : Medusa, 1963. 2
discos ópticos (DVD) (180 min.).

CD-ROM

APELIDO, nome – Título [Designação genérica de material]: complemento de título. Local
de publicação : Editor, Ano de publicação. Designação específica do material (Extensão).
Exemplo: INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA – As cidades em números [Documento
electrónico] : informação estatística 2000-2002. Lisboa : INE, cop. 2004. 1 disco óptico
(CD-ROM).

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação – apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2002.

COMO CITAR E-BOOK PDF OU KINDLE NA REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ?

Se o e-book tiver informações como ISBN, paginação, editora, cidade e etc, então você pode citar como um livro mesmo, pois provavelmente foi publicado. Caso o e-book não contenha essas informações, então você terá que citar como um documento eletrônico.

Citação de documentos eletrônicos

Pode-se considerar como documento eletrônico toda informação em mensagens eletrônicas (e-mails), fóruns de discussão, arquivos de hipertexto (http, em sites da www), ou arquivos da Internet de formatos especiais, como FTP, Gopher, Telnet, PDF entre outros, situados em seus respectivos sites.

Exemplo:
Ao tratar da biblioteca digital, Cunha (1999) esclarece que ela “é também conhecida como biblioteca eletrônica (principalmente no Reino Unido) […]”

Na lista de referência constará:
CUNHA, M. B. Biblioteca digital: bibliografia internacional anotada. Disponível em: <http://www.unicamp.br/bc/bibvirt/bibvirt3.htm>. Acesso em: 25 jun. 1999.

E-BOOK

APELIDO, nome – Título [Tipo de suporte] : complemento de título. Edição. Local de
publicação : Editor, Ano de publicação, actual. dia mês (abreviado). Ano [Consult. dia mês
ano]. Disponível na WWW:<URL:http://…>. ISBN.

Exemplo: SMITH, Valene L. – Hosts and guests [Em linha] : the anthropology of tourism.
2nd ed. Philadelphia : University of Pennsylvania Press, 1989. [Consult. 16 Abr. 2007].
Disponível na WWW:<URL:http://…>. ISBN 0-8122-1280-0.

MENSAGENS ELETRÔNICAS
MENSAGENS DE NEWS GROUPS, LISTAS DE DISCUSSÃO…

APELIDO, primeiros nomes (autor da mensagem) – Título (da mensagem). In Título do
sistema de mensagens [Tipo de suporte]. Edição. Local de publicação : Editor, Data.
[Consult. dia mês (abreviado) ano]. Localização no sistema de mensagens
<URL:http://…>Disponível na WWW:<URL:http://…>.

Exemplo: ROCHA, Fernando – Re: Estufas de fermentação em padarias. In Fórum HACCP
[Mensagem em linha. 5 Abr. 2007. [Consult. 23 Mai. 2007]. <URL:http://…
http://www.portalhaccp.pt/forum/index.php?topic=23.0>Disponível na
WWW:<URL:http://www.portalhaccp.pt/forum/>.

TESES, DISSERTAÇÕES E OUTRAS PROVAS ACADÉMICAS

APELIDO, nome – Título : complemento de título. Local de publicação : Editor, Ano de
publicação. Nota suplementar (Tese de.).

Exemplo: VIEIRA, João Martins – Planeamento e ordenamento territorial do turismo : uma
perspectiva estratégica. Lisboa : Editorial Verbo, 2007. Tese de mestrado.

TESES, DISSERTAÇÕES E OUTRAS PROVAS ACADÊMICAS – NÃO PUBLICADAS

APELIDO, primeiros nomes – Título [Designação genérica de material]: complemento de
título. Local de publicação : [s.n.]3, Ano de publicação. Nota suplementar (Tese de.).

Exemplo: AMBRÓSIO, Vítor – Fátima [Texto policopiado4] : território especializado na
recepção de turismo religioso. Lisboa : [s.n.], 1998. Tese de mestrado.

ATAS DE CONGRESSOS – COM TÍTULO PRÓPRIO

NOME DO CONGRESSO, Nº de edição, Local onde se realizou, ano – Título : complemento de
título : actas. Local de publicação : Editor, Ano de publicação.

Exemplo: CONGRESSO DE GASTRONOMIA DO MINHO, 12, Esposende, 2001 – Por uma dieta
atlântica (…) com sabores a mar : actas. Viana do Castelo : Região de Turismo do Alto
Minho, 2001.

DOCUMENTOS LEGISLATIVOS (LEIS, DECRETOS, PORTARIAS, DESPACHOS…)

TIPO DE DOCUMENTO Nº. Nome da publicação. Nº da publicação (data de publicação) págs.
em que se encontra.

Exemplo: DECRETO-LEI nº 192/89. D.R. I Série. 131 (89-06-08) 2254-2257.

NORMAS

Sigla e nº da norma. Ano, Área – Título : complemento de título. Local de publicação :
editor. Descrição física.

Exemplo: NP 00511. 1983, Derivados de frutos e de produtos hortícolas – Sumos, polmes e
seus derivados : definições. Lisboa : DGQ. 3 p.

FOLHETOS OU MANUAL DE INSTRUÇÃO

Título : complemento de título. Local de publicação : Editor, Ano de publicação. ISBN.

Exemplo: Québec : a family playground. Montréal : Tourisme Québec, 2004. ISBN 2-550-
42489-1.

Bibliografia

ISO 690-2. 1997, Information and documentation – Bibliographic references. Part 2 :
electronic documents or parts thereof. Genève : ISO. 18 p.

NP 405-1. 1994, Informação e documentação – Referências bibliográficas : documentos
impressos. Monte da Caparica : IPQ. 49 p.

NP 405-2. 1998, Informação e documentação – Referências bibliográficas. Parte 2 :
materiais não livro. Monte da Caparica : IPQ. 27 p.

NP 405-3. 2000, Informação e documentação – Referências bibliográficas. Parte 3 :
documentos não publicados. Monte da Caparica : IPQ. 15 p.

NP 405-4. 2001, Informação e documentação – Referências bibliográficas. Parte 4 :
documentos electrónicos. Caparica : IPQ. 28 p.

COMO ESCREVER O CAPITULO DE FORMA EMBASADA?

O capitulo deve manter a regra abaixo para ser a prova de falhas e a prova de plágio.

  1. TÓPICO FRASAL – Aqui você faz o que faz de melhor…escreva o que vier na cabeça sem se preocupar com plagio, isso porque o próximo parágrafo vai sustentar o que escreveu aqui.
    1. Se você não faz ideia do que escrever nesse começo, então tente conceituar o tema do capítulo com suas palavras.
  2. SUSTENTAÇÃO –(Aqui você responde a pergunta: de onde você tirou isso ?) Você cita uma obra que deixa você embasado na doideira que você disse acima, entendeu ? Se você disser que “A política é corrupção pura” no tópico frasal acima, por exemplo, então nesse trecho devemos inserir uma citação de algum autor afirmando isso para que você esteja embasado em seus delírios acadêmicos. (dissertação) kkkk
    1. Lembre-se em escolher uma citação que afirme o que foi dito no tópico frasal.
  3. ARGUMENTAÇÃO – (Aqui você responde uma pergunta oculta do leitor: por que você está dizendo isso ?) – Aqui você argumenta a necessidade da afirmação, usando técnicas de dissertação. No Monografis Orientador de TCC são usadas algumas, como por exemplo, loop aberto e etc.
    1. Lembre-se de argumentar respondendo a pergunta acima, o leitor vai se questionar o porquê disso tudo.
  4. CONCLUSÃO – Cria uma atmosfera fechamento da ideia que você começou e transmite aquela sensação de que você já pode passar para outro assunto.
    1. Foque em ser coerente com tudo acima, o maior erro aqui é concluir algo diferente do que foi argumentado.

RECAPITULANDO

depoimento-monografis

A partir de agora, você terá uma explicação sobre citações mais comuns de uma forma simples e descomplicada, tudo isso para te ajudar a entender de uma vez por todas as diferenças entre elas.

Resumindo de forma abrangente, a Referencia Bibliográfica tem a finalidade de sustentar uma afirmação. Tendo como base livros, recortes, leis, jornais, testes, exames e estudos mais aprofundados no assunto.

Quando necessitamos afirmar algo, devemos realizar citações, podendo ser diretas (com as palavras do autor original), indiretas (pensamento do aluno sobre os do autor principal) ou citação de citação (que é quando um autor cita outro autor).

Ainda temos citações com vários autores e inúmeras outras situação que não tem como serem abordadas aqui sem que fique um artigo pesado e cansativo, por esse motivo, para outras duvidas, busque ler a norma NBR 10520 e boa sorte!

Por: Jader Bastista Favero e Douglas Tybel
Fonte: Monografis Orientador de TCC

BIBLIOGRAFIA

COVEY, S. M. R. O poder da confiança: o elemento que faz toda a diferença. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

DIAS, G. Aprenda a usar as Normas da ABNT em trabalhos acadêmicos. TecMundo, 2014. Disponivel em: <http://www.tecmundo.com.br/tutorial/59480-aprenda-usar-normas-abnt-trabalhos-academicos.htm>. Acesso em: 25 Agosto 2014.

GRESSLER, L. A. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004.

NETO, B. H. D.; et all. Direito processual do trabalho. Curitiba: IESDE Brasil, 2012.

SANTOS, G. D. R. C. M.; MOLINA, N. L.; DIAS, V. F. Orientações e dicas práticas para trabalhos acadêmicos. Curitiba: Ibpex, 2007.

Carnegie, D. Como fazer amigos e influenciar pessoas. São Paulo-SP: Companhia Editora Nacional,2003.

Compartilhar:
  • nilson carvalho

    Ficou excelente esse artigo me ajudou bastante.

    • Nilson, muito obrigado! qual parte que vc estava com mais duvida? assim vai me ajudar e a melhorar.

  • Douglas

    Meus Parabéns xará ! , muito bom seu conteúdo , você consegue explicar algo complexo de maneira simples , direta e bem humarada . Muito obrigado por compratilhar seu conhecimento …

    • Douglas,

      Obrigado por dizer o que eu estou acertando, assim continuo no caminho certo.

      Continue comentando nossos post e também nosso canal no youtube:
      https://www.youtube.com/channel/UCgnyZZf17Ykiu9tHyOVJ8HA

    • Pelo seu comentário, percebi que vc leu todo o post. Parabens, poucos alunos chegam até o final a ponto de comentar até. kkkk Me diz qual parte gostou mais, assim continuo fazendo nos próximos.

  • Douglas

    Boa noite Douglas , eu tenho uma dúvida quanto as referências , para mim poder referenciar algum autor , eu tenho que ter lido todo aquele determinado livro ? ou eu posso referenciá-lo mesmo tendo lido apenas um capítulo desse livro , ou somente a parte que me interessa ? Posso também referenciar um autor que achei numa referência bibliográfica de outra monografia ? Espero que vc tenha entendido o que eu quis dizer . Valeu …

    • Oi Xará! kkkk

      Você não precisa necessariamente ler todo livro.
      Se você precisa conceituar “EDUCAÇÃO”, por exemplo, não é necessário a leitura de um livro de 200 paginas. Então nesse caso, pegue o trecho que conceitua e cite-o.
      Bom, mas agora exite 2 detalhes:

      1 – Você deve ter lido o livro principal que você está usando como embasamento para seu TCC, pois a banca pode perguntar algo sobre o livro, autor ou a teoria dele.
      2 – Alguns capítulos que giram em torno do seu livro principal, nesse caso é bom que você fale da teoria do autor em algum momento.Esse é um tópico avançado e difícil de explicar, mas por exemplo, se você está falando sobre “EDUCAÇÃO” deve explicar qual era a ideia sobre educação do autor principal que está usando. Paulo Freire, por exemplo, você deve dizer o que ele achava de educação, como era a linha de raciocínio dele em relação ao tema que você está falando.

      • Faltou dizer que se você quer citar a citação de alguém de outro TCC, então terá que usar apud.

        Se você quer citar algo que o autor do TCC disse, então você referenciará como um livro ou como um link web caso teve acesso virtual.

    • Não é aconselhável citar fontes fracas como outra Monografia. Se concentre em livros e artigos de sites confiáveis.

  • silvia

    Eu quero alcançar esse sonho.

  • silvia

    Eu quero alcançar esse sonho e que minha nota seja otima.

  • Yara

    Muito obrigada,ajudou bastante!

    • Eu que agradeço por você vir até o finalzinho do post e deixar seu comentário.

  • Gisele de Freitas Sora

    Nossa! Você conseguiu me explicar em 5 minutos o que eu estava tentando entender há meses! Muito obrigada e parabéns por esse dom que é ensinar!

    • Nossa Gisele, ficou muito feliz e animado com esse seu comentário. Se puder, me responda qual era sua duvida que o post ajudou ? assim posso focar nos próximos post.

      • Gisele de Freitas Sora

        “Vamos para citação indireta agora, isso porque, a norma diz para se basear no texto do autor, isso quer dizer que terá que: ler, interpretar e escrever o que você entendeu. Você pode escrever também e alterar algumas coisas do texto original e etc.” Essa foi a parte que me fez compreender perfeitamente o que devia ser feito sem correr o risco de cometer plágio! Novamente, muito obrigada! Gisele

        • Douglas Tybel

          Entendi. Com essa explicação sua eu consigo entender a duvida e produzir melhores conteúdos. Muito obrigado!

  • Suzane

    Também estava com dúvidas quanto ao comentário de Gisele, fiquei muito contente da forma como foi exemplificado o conteúdo, parabéns e obrigada.

    • Suzane

      Mas o que mais me surpreendeu foi a exemplificação visual da extração do livro, foi muito bem ilustrado, fantástica a tua percepção.

  • Denise Vieira

    Gostaria de saber, quando se trata de artigo posso fazer um citação de qualquer parte do documento? Por exemplo, posso citar um trecho da introdução do artigo, ou isso, é considerado plágio?

  • Douglas Tybel

    Sim, você pode. Agora, como a função da citação é embasar algo, sempre é bom citar algo vindo do referencial ou da pesquisa (capitulos, resultados, discussão e etc).

    Era essa sua duvida ?

  • laudiceia prado

    Olá boa noite tô com uma dúvida, assim li um livro do autor BOTH 2012 p ELE faz um citação referente a educação como BOTH 2001.pg65 como eu montaria essa citação, nas normas ABNT. No caso ele mesmo cita ele mesmo só que em outra obra, só não sei como fazer nas normas

    • Douglas Tybel

      Sim, você vai fazer um apud dele mesmo, não tem problema.

  • Douglas Tybel

    eita! isso sim é comentário!!! eu estava triste e ao ler seu comentário fiquei animadão kkkk

  • Eds Mars

    Antes de mais nada quero ti parabenizar pelo trabalho, tem ajudado muita gente. Eu tenho uma dúvida e acredito que você tenha a resposta, suponhamos que eu queira fazer um trabalho de conclusão de curso, daí como referencias para a construção do meu TCC eu resolva usar uma monografia e um artigo cientifico de outras pessoas. A citações diretas e indiretas ou até mesmo o apud contidos nessa monografia, devem ser citadas como em meu trabalho, caso eu resolva fazer uso delas pra enriquecer meu artigo por exemplo? Essa dúvida tem me tirado o sono, pois não sei se cito a página do artigo e da monografia de outras pessoas, ou se, eu mesmo devo citar apenas as citações do modo como estão escritas nessas referencias que eu resolvi usar, desde já agradeço.

    • Douglas Tybel

      Muito obrigado Eds! Bom, vamos por etapas. Primeiro que outros trabalhos são considerados referencia fraca e isso reduz sua nota.

      Procure sites confiáveis, livros, artigos conceituados e de boas fontes de informação.

      Mas se resolver citar, você pode normalmente, onde a citação indireta você lê o trecho do trabalho e escreve com suas palavras e a citação direta é a transcrição fiel do texto do trabalho que está se baseando.

      Já apud é outra coisa. Vamos supor que você queira citar uma citação que você viu no trabalho, aí usará apud.

      E o apud é pior ainda, é considerado uma prática “preguiçosa” e reduz muito sua nota, por isso o uso é bem pouco.

      Espero ter respondido sua duvida.

  • Emerson Regis Maciel

    Oi… Me tira uma dúvida, estou fazendo um trabalho e pegando vários pontos de uma Lei, como referencio a mesma Lei repetidamente? Cada ponto há uma citação direta de um artigo ou paragrafo da Lei e estou com dificuldades para fazer a referencia uma vez que chega a ter 3 citações da mesma Lei em uma página.

    • Douglas Tybel

      vc cita da mesma forma que citou a primeira. A citação não muda pela quantidade de vezes que aparece. Se fosse citação do mesmo autor de obras diferentes, aí sim. Mas a mesma lei, na mesma folha citada mais de uma vez, será da mesma forma. Eu só aconselho que você siga um modelo de escrita para não ficar citando sempre a mesma lei. use nossa Ferramenta para Orientação de TCC, veja neste link: monografis3.com.br

      Além de ter nosso apoio em um chat no horário comercial, grupo do facebook e whatsapp.

  • Douglas Tybel

    Primeiro ponto a ser considerado: Se você vai citar uma dissertação de outra pessoa, saiba que é uma fonte fraca e sua nota abaixa.
    Segundo: Se vc quer pegar um trecho da dissertação, ler, interpretar e escrever com suas palavras sem fugir a ideia central do que vc pegou, então é uma citação indireta. Cita só a dissertação.
    Terceiro: Se você pegar um trecho da dissertação e transcrever, é uma citação direta, onde cita apenas a dissertação.
    Quarto: Se você vir uma citação direta ou indireta feito na dissertação e queira usá-la no seu TCC, você precisa usar uma expressão latina chamada “apud” para deixar claro que você aproveitou a citação de alguém.

    Observação: A expressão latina apud é reduz ainda mais sua nota diante da banca, pois os componentes da banca consideram “preguiça” do estudante. Ao invés de você ler, interpretar e escrever, vc preferiu pegar de alguém que já tinha feito isso.

    Minha dica é para buscar fontes mais confiáveis e sair de complicações que vão reduzir a relevância do seu estudo.

  • Douglas Tybel

    Adicionado. Obrigado.