3 tipos de professores da banca do TCC que você precisa aprender a lidar

Compartilhar:

3 tipos de professores na banca do TCC que você precisa aprender a lidar

Sou professor universitário e já acompanhei muitos e muitos alunos em banca do TCC, seja como avaliador, seja como orientador, ou mesmo ouvinte. E nesse texto, quero fazer uma reflexão sobre os tipos de professores que geralmente aparecem nas defesas de TCC e monografia e dicas de como lidar com isso.

3 tipos de professores em banca de tcc

 

Lembrando que são apenas “perfis” de professores que identifiquei participando de apresentações ou mesmo observando o comentário de outros professores e também de alunos ao longo do tempo. O que é interessante é que todos os tipos que vou descrever não serão difíceis de identificar, pois quando há professores com esses estilos, a fama corre pela universidade inteira!.

O Perfeccionista

Esse tipo de professor é aquele que acha que ninguém pode tirar 10. Ele procura sempre por detalhes (pequenos errinhos) e muitas vezes cria falhas para poder não dar nota máxima. Geralmente esse professor já anuncia pelos corredores que tem esse comportamento, e se gaba por isso.

O que fazer?

Se você já sabe que esse mestre estará na banca do TCC, procure trabalhar o ego dele. Como? Leia algo sobre a linha de pesquisa que essa pessoa trabalha e faça elogios (sinceros) à sua produção. Prepare-se tentando saber quais pontos ele sempre observa nos trabalhos, se é mais analítico, se é mais qualitativo etc. 

Assim, as críticas, sempre que bem fundamentadas, poderão auxiliar na evolução da sua pesquisa. Afinal, criticar é avaliar com critérios. Lembre-se: se algum ponto da crítica não ficou claro e tiver chance, pergunte. O importante é compreender o ponto de vista do avaliador. (NOVA, Silvia Pereira de C. C.; LEAL, Edvalda Araújo; MIRANDA, Gilberto José; NOGUEIRA, Daniel Ramos, 2019, n.p)

Eu mesmo já vi uma professora que dizia não dar nota máxima, dar 10 numa defesa de TCC. Os alunos trabalharam para conseguirem a sua confiança nos pontos que citei. E deu certo.

O Perdido

Esse é aquele professor que foi designado para a banca, mas não sabe (quase) nada sobre o seu tema. Além de não saber, em muitos casos também não procura pesquisar o tema e entender as suas virtudes e falhas do seu TCC.

Importante falar que um professor pode não ler sobre um tema devido a falta de tempo. Eu já vi colegas mestres reclamarem de receber uma monografia para ler 1 ou dois dias antes da defesa. Complicado né?

Como resolver?

Se você já sabe que um professor que não é da sua área vai estar na banca do TCC, procure entrar em contato com ele e “evangelize-o” sobre o tema do seu trabalho. Tente passar um pouco da ideia geral e veja o que ele sabe sobre o assunto. Pergunte também o que acha da sua ideia.

Se esse professor já leu seu trabalho, vai ter uma ideia geral pela sua explanação. Caso contrário, terá uma primeira noção do vai ler pela frente. Em todo caso, será uma boa troca de experiências.

Por outro lado, se for conveniente, seria interessante também conversar com o coordenador do seu curso e ver a possibilidade de chamar algum professor da área. É uma saída.

O Sonolento

Sim, já ouvi alunos dizendo: “O professor não prestou atenção por que ele estava cochilando…” Isso é péssimo, mas acontece.

Como resolver?

Saiba antecipadamente se isso já aconteceu em bancas com algum colega de classe. No geral, busque saber de alguma forma se esse professor tem esse histórico. No dia da defesa, procure chamar a atenção desse avaliador dizendo o nome dele algumas vezes durante a explanação. Aliás, uma boa técnica de oratória é em alguns momentos dizer o nome da pessoa que está assistindo, no caso, dos examinadores da banca.

A técnica de chamar o nome ou a atenção da pessoa em público, tem muita aderência e vai ser um chamado para que ele “fique atento” ao que está sendo falado. Finalmente, e apesar de tudo o que foi descrito aqui, você ainda pode contar com o seu orientador.

Orientador: o seu guia na banca do TCC

Portanto, lembre-se sempre de cultivar um relacionamento próximo com o seu orientador. Ele pode te ajudar caso algum imprevisto aconteça. Muitas pessoas reclamam dos professores orientadores, mas creio que todos concordam que uma boa orientação faz diferença em um trabalho.

Um erro muito comum que vejo é muitos alunos mantem um certo distanciamento dos seus orientadores. Eles fazem isso por diversos motivos, mas o maior deles creio ser por procrastinação. Muitos alunos ficam procrastinando, não participando das orientações presenciais, não mantendo uma linha de comunicação aberta e algo assim.

Concluindo

Em suma, caso haja prejuízo de nota por causa dos comportamentos que descrevi aqui, o seu orientador pode ser o seu guia nesse processo para te ajudarA relação orientador x orientando é tão complexa, que dá pra escrever um outro artigo sobre isso… Espero que esse conteúdo tenha ajudado você que está iniciando seu projeto, mas também àqueles que já estão em vias de defender um TCC/monografia para a banca do TCC.

 

LEIA TAMBÉM:  APRESENTAÇÃO TCC: 2 Dicas NUNCA vistas antes

Vou ficando por aqui.

Espero que esse conteúdo tenha ajudado você que está iniciando seu projeto, mas também àqueles que já estão em vias de defender um TCC/monografia para a banca.

Desejo sucesso a você.

Prof. Danilo Mota

Professor e empreendedor digital, escreve regularmente no Blog Supere Desafios: www.superedesafios.com.br

Referencias

NOVA, Silvia Pereira de C. C.; LEAL, Edvalda Araújo; MIRANDA, Gilberto José; NOGUEIRA, Daniel Ramos. Trabalho de conclusão de curso (TCC): uma abordagem leve, divertida e prática. 1. ed. São Paulo -SP: Saraiva Educação S. A., 21 nov. 2019.

Compartilhar:

Deixe seu comentário