9 TIPOS DE TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO (DEFINITIVO)

Compartilhar:

Pode-se afirmar que, em razão do Trabalho de Conclusão de Curso ter um caráter científico, isso vale não só para Dissertação ou Tese, qualquer TCC que se preze leva um texto dissertativo, já que precisa ser escrito em forma de texto dissertativo argumentativo. Uma vez que este instiga o aluno a pesquisar por formas de defender seus ideais através de provas concretas. Dessa forma preparamos para você leitor um infográfico mostrando  Como Fazer um Texto Dissertativo Argumentativo para auxiliar em seu trabalho.

Sumário

  1. GÊNEROS TEXTUAIS

1.1 TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO

  1. DADOS ESTATÍSTICOS
  2. DADOS HISTÓRICOS
  3. QUESTIONAMENTOS
  4. POR CITAÇÃO

5.1 TIPOS DE CITAÇÃO

  1. CAUSA E CONSEQUÊNCIA
  2. COMPARAÇÃO
  3. EXEMPLIFICAÇÃO
  4. ENUMERATIVO
  5. CONTRA-ARGUMENTAÇÃO

RECAPITULANDO

BIBLIOGRAFIA

Não basta apenas ter bons argumentos, deve-se aprender a organizá-los da maneira correta. Esse gênero textual é muito utilizado no Exame Nacional do Ensino Médio, em concursos públicos, para enaltecer o Projeto TCC e provar à banca da veracidade da obra.

Em qualquer livro de dissertação fica clara a importância da argumentação. Isso devido a sua característica de construção de raciocínio, pois é através de pensamentos críticos que movemos o mundo.

Argumentar é construir um raciocínio lógico por meio de provas, fatos, evidências, especulações, comparações, citações autorais, dados científicos ou estatísticos, entre outros, a fim de comprovar uma tese. A argumentação é o exame de uma tese, tendo em vista encontrar uma solução para o problema (GUIEIRO, 2009, p. 31).

como fazer um texto dissertativo argumentativoPara aqueles que consideram esse tipo de leitura chata, então veja sobre o livro A Menina que odiava Redação uma ótima forma de como fazer um texto dissertativo argumentativo. Nesse livro, você verá exemplos de argumentos no mundo real, muito fácil assimilação. Abaixo será apresentado 9 tipos de argumentação que podem ser utilizado em qualquer tipo de artefato científico sem restrições. É importante ressaltar que cada tipo contem características distintas, dessa forma dependendo do trabalho do aluno, algum desses vão encaixar melhor que outros.

CLIQUE AQUI E BAIXE O INFOGRÁFICO

1. Gêneros Textuais

como fazer um texto dissertativo argumentativo

Do mesmo jeito que a própria pesquisa em si, os textos também são classificados de acordo com seus gêneros. Cada um é exigido em determinada situação e possuem estruturas específicas que se caracterizam individualmente.

De acordo com Bomfoco (2014), antes de falar em começar a escrever, é importante especificar todos os quatro tipos de escrita:

  • Exposição – texto que explica ou informa trazendo acontecimentos para o leitor;
  • Narração – conta ou narra uma história;
  • Descrição – detalha através dos cinco sentidos as características de algum objeto ou lugar;
  • Texto dissertativo argumentativo – apresenta uma alegação a fim de convencer alguém.

Não é exagero afirmar que cada classe de publicação possui uma finalidade própria. Cabe ao educando decidir qual se adéqua melhor a suas necessidades e buscar a estrutura da mesma.

1.1 Como Fazer um Texto Dissertativo Argumentativo

Apesar de uma parcela significativa dos alunos sentir muita dificuldade para entender o que é um texto dissertativo argumentativo, na verdade ele é fácil de ser compreendido. Causa um grande sentimento de medo em todos eles, pois esse gênero textual é frequentemente exigido em concursos e vestibulares por todo o globo.

Dissertar tem por intuito mostrar ou interpretar os fatos, e argumentar é colocar as palavras de modo que o interlocutor possa ser cativado com aquele tema. Nas provas e competições, esse gênero textual é considerado uma forma de ortografar uma opinião (HARTMANN, 2015).

A diferença entre dissertar e argumentar, é que no primeiro a tese do formando é exibida e no segundo são utilizadas táticas para seduzir os examinadores. De uma forma mais simples, a tese é a ideia e a argumentação são alegações lógicas que validam a ideia da tese inicial. Quando um tutor fala em redação, o coração de todos os educandos começa a bater mais rápido, pois eles sentem muita dificuldade em colocar a tona seus pensamentos e exortar o público.

Veja um exemplo tirado do livro: A Menina que odiava Redação

“Imagine-se em um ponto de ônibus”, começou o Professor Maluquinho, dois dias depois, quando eu e duas colegas tivemos a coragem de pedir que ele nos desse uma luz sobre as primeiras teorias que tínhamos ouvido a respeito de dissertação argumentativa.

Ele continuou: enquanto o ônibus não chega você se mete a comentar o novo reajuste da tarifa de ônibus com alguém que vê pela frente. Como você começa? Viu o novo aumento da tarifa de ônibus? Em seguida, você especifica a tese: Nos últimos anos, a tarifa tem aumentado de forma superior ao salário. Em primeiro lugar, você deu um título à conversa: “o aumento da tarifa de ônibus”.

Depois, fez uma constatação, que chamamos de tese. Você continua a conversa, demonstrando conhecimento das causas do aumento: “a falta de controle do governo sobre as tarifas praticadas pelas empresas de ônibus, a ganância desmedida dos empresários e a falta de cobrança do povo sobre o direito que tem de melhores serviços e tarifas”.

Logo em seguida, você apresenta as consequências: “a diminuição da renda do trabalhador, que ocasiona a diminuição do seu padrão de vida, tendo de cortar gastos no alimento, vestuário, cursos ou escola dos filhos”. A essa forma de levar a uma reflexão e de persuadir damos o nome de argumentação, que é o desenvolvimento da redação e corresponde a 50% em média da sua extensão; ela é o espaço em que examinamos o problema apresentado na introdução.

Mas, antes de o ônibus chegar, você certamente propõe uma boa solução para o problema: “só nos resta esperar que o povo cobre mais atitude de seus representantes legais, vereadores e prefeitos, para que estes intercedam, exigindo dos donos das empresas de ônibus mais justeza nas tarifas praticadas, a fim de que tenhamos a tarifação sempre colocada em um pata mar admissível”.

Isso é exatamente a conclusão da redação dissertativo argumentativa; é o que chamamos de proposta de intervenção, concluiu o Professor Maluquinho.

CLIQUE AQUI E BAIXE O INFOGRÁFICO

2. Dados Estatísticos

como fazer um texto dissertativo argumentativo

A cada dez anos, no Brasil, o governo federal realiza uma coleta de dados sobre a condição do povo. Vários funcionários vão de casa em casa fazendo perguntas sobre o estilo de vida da população. A esses dados foi dado o nome de estatísticas.

Os estudos estatísticos têm como objetivo interrogar uma ou mais características que as instâncias de um determinado grupo possuem em comum. Podendo ser de uma amostra finita, como os produtos fabricados durante um dia, ou infinita como a quantidade de estrelas do Universo (SILVA, 2009).

Os dados que essa apuração gera são utilizados para os fins mais diversos pela alta gestão das empresas. Às vezes são coletadas de amostras pequenas outras de quantidades infinitas.

Por apresentarem um valor extremamente auto em vista do valor científico e matemático, os dados estatísticos são muito colocados no texto dissertativo argumentativo. Uma vez que são gastos tempo e dinheiro com pesquisas e buscando provas (ELIAS, 2013).

Segundo Silva, as estatísticas são retiradas de uma parcela finita ou infinita de algum produto a ser estudado. Indo ao encontro, Elias alega que são formas muito valorosas por sua exatidão, tempo e dinheiro gastos.

Abaixo segue um exemplo de como organizar um parágrafo com essas informações:

Cerca de 5% da população mundial entre 15 e 64 anos, o que corresponde a uma média de 243 milhões de pessoas, usa drogas ilícitas segundo dados divulgados pelo Relatório mundial sobre Drogas da ONU (Organização Mundial das Nações Unidas).

Fica evidente, diante deste quadro que colocar dados estatísticos é uma boa estratégia para construir um texto argumentativo. Cabe ao acadêmico procurar por fontes confiáveis e atualizadas.

3. Dados Históricos

Ao iniciar um texto dissertativo argumentativo, o estudante, muitas vezes, não sabe como começar e perde muito tempo ali. Os orientadores aconselham, neste caso a colocar dados épicos sobre como surgiu o tema ou como era antes dele.

É mais popular entre oradores e principalmente por cronistas. Nesse tipo de trecho são apresentados os fatos, acontecimentos históricos, lendas, costumes e alusões passadas de geração em geração para atrair os olhares dos avaliadores (LIMA, 2011).

Com a intenção de obter boas críticas e economizar tempo, os professores ensinam a começar as redações com dados históricos. Assim, através dos relatos antigos terem inspiração para continuar, do mesmo jeito que fazem os cronistas e oradores.

A argumentação histórica precisa ser utilizada com alguns cuidados segundo Elias (2013, p. 157):

[…] facilita a contextualização e revela a cultura geral ao redator. Tome cuidado, entretanto, de não abafar a sua argumentação; para tal, não se encante pela citação a ponto de enumerar muitos detalhes; apegue-se apenas ao essencial a ser citado […]

Conforme verificado, fazer uma alusão histórica pode ser um método de gerar inspiração para continuar redações. Porém é preciso ter cuidado para não ofuscar o verdadeiro ponto de vista principal.

Por exemplo, quando se quer afirmar que um povo foi o primeiro a lutar por ocupações em determinada área, poderia usar:

Os primeiros registros acerca dos Torá os situam num espaço territorial que compreende todo o rio Madeira e alguns afluentes. Foi um dos primeiros povos a resistir às tentativas de ocupação desta região, e também um dos primeiros a sofrer significativamente por essas investidas. Mencionados na documentação histórica por atacarem regatões em toda a extensão do rio Madeira, os Torá viram-se obrigados a ocupar apenas uma pequena porção de seu território situada nas proximidades da foz do rio Marlelos, no Estado do Amazonas. Fonte: socioambiental.org.

Por todas essas razões, a alusão histórica é recomendada quando se quer montar um texto dissertativo argumentativo. Porém, é preciso ter cuidado para não tirar o foco do silogismo principal.

CLIQUE AQUI E BAIXE O INFOGRÁFICO

4. Questionamentos

como fazer um texto dissertativo argumentativo

Sendo de caráter facultativo, os questionamentos podem levantar pontos que ainda nem tenham sido imaginados pelo autor. Eles também devem ser embasados para que o crítico seja inserido no contexto.

Tem como meta exemplificar o problema para comprovar a opinião sobre este. Por meio de provas a favor ou contra a posição assumida, podendo variar de cada um (HARTMANN, 2015).

Ao defender sua posição em relação ao tema, o discente encadeia ideias e pensamentos relevantes. É importante ressaltar que cada questionamento precisa ser embasado por um argumento, uma vez que nem todos que irão ler terão noção sobre aquilo.

Para compreender melhor seguem os exemplos:

Tendo como base o decreto de lei 1.598 referente a ganho por compra vantajosa, como deve ser lida a exigência de que os saldos possíveis de amortização para fins correspondem aos saldos existentes?

Diante da citação não fica evidente que todo TCC precisa ser escrito com textos dissertativos e embasamentos?

Pode-se dizer que para amostrar a anomalia e suas afirmações, os questionamentos precisam ser embasados. Colocar argumentos a favor ou contra é uma boa forma de encaixá-los no texto dissertativo argumentativo. Para aprender a encontrar conteúdo gratuito na internet leia o artigo Como Encontrar Referências Bibliográficas de QUALIDADE!

5. Por Citação

como fazer um texto dissertativo argumentativo

A utilização de citações é aconselhada principalmente no referencial teórico de artigos científicos e trabalhos acadêmicos de graduações de nível superior. Ela pode ser de livros, jornais, revistas e outras mídias distintas.

Uma afirmação só tem valor a partir do momento em que o locutor consegue provar aquilo que foi dito. Se os dados não são de fonte confiável, eles não terão valor na monografia fazendo com que seu valor caia drasticamente (NETO, et all, 2012).

Diante desses dados, é correto dizer que não importa o quanto seus argumentos estejam corretos, eles não terão valor se não forem provados. Para isso, podem ser utilizadas citações de diversos tipos.

5.1 Tipos de Citação

Existem três tipos de citação que podem ser utilizadas dentro do corpo do texto dissertativo argumentativo. Existem alguns tipos para escolher: citação direta, citação indireta e citação de citação.

De acordo com Santos, Molina e Dias (2007) elas são classificadas de três formas diferentes.

  • Citação direta – quando a passagem é escrita do mesmo jeito que a obra original;
  • Citação indireta – quando a ideia do autor é reescrita com as palavras do aluno propriamente dito;
  • Citação de citação – quando o citado não foi obtido do texto original, mas sim citado por outrem.

Você pode ler mais sobre citação no Artigo6 TIPOS DE CITAÇÃO MAIS COMUNS EM TCC (DEFINITIVO)

Usar um autor com autoridade para embasar o que precisa com base em citações é a forma mais comum de argumentar, exemplo:

Conforme citado por Tybel (2016) um texto TCC tem com base um texto dissertativo, sendo assim fica evidente que todo TCC precisa ser escrito com textos dissertativos, argumentativo com embasamento.

Resumindo tudo até aqui, pelo fato do acadêmico não ter autoridade nenhuma para afirmar alguma coisa, ele deve utilizar uma das três formas de citações para comprovar tudo aquilo que menciona. Caso isso não ocorra, a banca pedirá uma ressalva e a nota final será prejudicada. Para aprender mais sobre elas leia o artigo Descubra O Segredo Para Encontrar Conteúdo E Citar Nas Normas ABNT.

CLIQUE AQUI E BAIXE O INFOGRÁFICO

Compartilhar: